Concertos de Johann Sebastian Bach – 1

Como profissional, JS Bach era músico, principalmente compositor. Durante seu período em Coethen, o príncipe Leopold o deixou à vontade para compor. Com isso JS desenvolveu muito seu repertório. Compôs diversos concertos para diferentes instrumentos, alguns considerados obras primas.

J S Bach concerto BWV 1055 em Lá Maior.

Este concerto é considerado um dos mais “maduros” do compositor. Existem duas versões, uma para cravo e outra para oboé d’amore. Considera-se que Bach tenha composto originalmente para oboé d’amore, embora historiadores de música tenham discordâncias a este respeito. Outra versão é para flauta.

Informações técnicas adicionais podem ser encontradas na wikipedia.

Eu particularmente gosto mais das versões para instrumentos de sopro, oboé d’amore e flauta. A versão para flauta interpretada por Jean-Pierre Rampal é a de minha preferência. A versão para cravo é também conhecida para piano. Incluo aqui as versões para flauta, oboé d’amore e para piano, caso queiram escutar todas, ou apenas alguma das 3.

Concerto para dois violinos em ré menor, BWV 1043.

JS Bach compôs quatro concertos para violinos, muito famosos. O concerto para dois violinos, BWV 1043, é um deles. É um dos concertos para violino mais interpretados. De extrema beleza, os dois violinos “dialogam” entre si e com a orquestra, constituindo uma obra de qualidade excepcional. São conhecidas inúmeras interpretações deste concerto. A wikipedia lista 155 gravações deste concerto. A aqui selecionada não é interpretada por violinistas famosos, mas a qualidade do som da gravação é muito boa e a interpretação não deixa a desejar, por músicos da pequena orquestra New York Classical Players (NYCP).

Esta orquestra realiza apresentações em lugares públicos, principalmente em igrejas, da cidade de Nova York. O canal do YouTube da NYCP tem muitas gravações interessantes, inclusive uma interpretação de Eleanor Rigby dos Beatles que é única, além de uma interpretação da Sonata Arpeggione de Schubert com viola d’amore e orquestra que é maravilhosa.

Autor: Roberto G. S. Berlinck

Professor do Instituto de Química de São Carlos, USP